Selecione seu Estado São Paulo
Quarta-Feira, 15 de Agosto de 2018


E-mail:
Senha:
Cadastre-se Login
Acessando.... Erro ao acessar. Esqueceu sua senha?

Corretor deve apostar em segmento que cresceu 50% em 2017

Fonte: CQCS Data: 04 janeiro 2018 Nenhum comentário

O corretor de seguros deve ficar atento ao potencial do seguro de garantia judicial, que cresceu cerca de 50% em 2017 e deve continuar avançando a reboque da recuperação da economia do país e do maior conhecimento da sociedade sobre o produto.

Em entrevista para a Rádio CNSeg, o presidente da Comissão de Riscos de Crédito e Garantia da FenSeg, Roque de Holanda Melo, revelou que essa já é a forma de garantia mais barata disponível no país para as demandas judiciais. Além disso, é também a mais segura. “Essa modalidade tem quase 20 anos e está evoluindo. A pulverização de riscos com o resseguro torna o produto muito mais seguro”, afirmou o executivo.

Segundo ele, essa modalidade é fundamental tanto para o mercado de seguro Garantia, que vem experimentando um crescimento exponencial nos últimos anos, quanto para as empresas que utilizam o produto, o qual pode ser utilizado tanto para demandas em processo das áreas cível, trabalhista ou tributária, garantindo o pagamento de indenizações e custos. “O retorno é positivo para toda a sociedade, especialmente nos processos referentes a dívidas tributárias, pois há a garantia que a seguradora fará o pagamento”, acentuou Holanda Melo.

Ele acrescentou que o bom desempenho apurado este ano pode ser atribuído à “evolução legislativa”, tanto nas esferas federal, estadual ou municipal, quanto no órgão regulador do mercado (Susep), que consolidou esse produto como uma forma de caução idônea, sem qualquer óbice.

Outro fato importante foi o crescente conhecimento sobre o produto pelas empesas brasileiras nos últimos anos.

A Reforma trabalhista também deverá trazer reflexos positivos para essa modalidade, que já vinha sendo adotada nessa área, inclusive com decisões do Tribunal Superior do Trabalho (TST) ratificando a sua utilização. “Por tudo isso, creio que esse seguro continuará crescendo nos próximos anos”, salientou o executivo.

 

Para participar e deixar sua opinião, clique aqui e faça login.

 

Últimas